terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Primeira vez que sonhei que estava no Japão.

Esta noite, pela primeira vez, sonhei que estava no Japão.

Estava escuro e a cidade, como quase todas lá, realmente, tem uma iluminação deficiente. Pode ser por motivo de economia.

Enfim, chovia muito mesmo. Essas chuvas fortes são provenientes das frentes frias que vem da China ou da Rússia. E provocam tufões. Ou taifu, como os japoneses designam esse tipo de tempestade.

Os sonhos, geralmente, são confusos e difíceis de se relatar mas, o que se sobressaiu, foram a chuva forte e o fato de eu estar com um gigantesco guarda-chuva, daqueles que te protegem toda e ainda tem espaço de uns 30cm ao redor de si. E eu ria das pessoas que se encharcavam enquanto eu estava totalmente protegida. A partir daí, sei que foi uma grande aventura e eu estava perdida embora protegida.

É estranho pois em meus oito anos lá e, mesmo já tendo voltado há mais de sete anos, nunca tive nenhum sonho relativo ao país ou aos costumes deles.

Seria algum prenúncio? Oh céus! A instabilidade econômica aliada à fragilidade com que a empresa aonde trabalho (por ter encolhido em face à perda das concessões de duas das principais usinas)se encontra e em vistas de um grande corte no próximo ano (inevitável) talvez tenha me levado a sonhar com o Japão. Em tempo: trabalho numa estatal de produção de energia: a Cesp.

Se essa possibilidade remota se tornar realidade, com certeza, será uma viagem totalmente diferente. Voltar pra lá, com toda a minha bagagem anterior, faz a aventura se tornar menos penosa. 

Não é fácil pois são outros costumes, outra língua, outros valores. Só quem já viveu lá vai entender o que estou dizendo.Não é simplesmente me mudar para outro país e trabalhar. É uma mudança radical mesmo. Não se trata de um país ocidental. De costumes idênticos aos nossos. Enfim, vamos ver! Espero que não! Que eu consiga continuar por aqui pois, apesar de tudo, o Brasil é lindo e é um país único e maravilhoso de se viver.


Nenhum comentário: